"A Sombra e a Escuridão" A história dos Leões comedores de humanos de Tsavo



"A Sombra e a Escuridão"
Em 1898 o engenheiro Coronel John Henry Patterson tomou a dianteira da construção de uma ponte

"A Sombra e a Escuridão" A história dos Leões comedores de humanos de Tsavo

para uma ferrovia estratégica sobre o rio Tsavo no Quénia, África Oriental utilizando-se de mão de obra local, no entanto, Patterson constatou uma série de ataques provocados por leões comedores de gente desde março do mesmo ano que perduraram por longos meses a seguir. Apesar de jamais ser explicado até hoje o porque da preferência alimentar destes leões - alguns relacionam a uma doença que teria dizimado centenas de animais que eram suas presas comuns em 1890 ou a práticas de enterrar seus mortos na areia rasa - mas que mesmo mediante tentativas dos próprios trabalhadores construir cercas e assustar os animais com fogo, os ataques prosseguiram. Patterson que era caçador amador tentou ele mesmo caçar os animais sem maiores resultados e media que os ataques ocorriam o temor dos trabalhadores afastaram muitos que fugiram do campo por acreditar que estes leões seriam a encarnação de 'demônios', o que rendeu os apelidos que dão nome ao filme. Segundo a riqueza de provas da história Patterson notou que os dois animais curiosamente agem em grupo nos ataques, pratica novamente pouco comum sobre leões na natureza , e supostamente levaria os corpos para uma caverna do qual Patterson teria encontrado repleta de ossos, mesmo que contextado por arqueólogos por saberem de práticas comuns de sacrifícios humanos feito por índios em cavernas.

Coronel John Henry Patterson
Col. John Henry Patterson

Deserto thorny
Ferrovia e deserto espinhoso em torno de Tsavo (1899).

Coronel John Henry Patterson
Patterson e outros em frente de tenda.

Coronel John Henry Patterson
Patterson e outro homem na frente da barraca de que o 
trabalhador foi levado na noite anterior por um dos leões

Trabalhadores na frente de Boma - uma cerca 
espinho que eles construíram para proteção.

Armadilha Railroad carro construído 
por Patterson para capturar leões.

 Somente em 9 de Dezembro do mesmo ano Patterson finalmente conseguiu abater um dos 
animais que media cerca de 3 metros e fora necessário 8 homens para carrega-lo, levando o segundo animal a ser morto no fim do ano mas depois de um saldo de 140 trabalhadores mortos, para somente então em fevereiro de 1899 os trabalhadores voltarem e terminarem a ponte. Hoje os corpos dos leões se encontram empalhados no museu de Chicago, o Chicago Field Museum e são alvo de uma disputa entre o Quénia que os quer de volta.
 O curioso no entanto, é que tem se notado um crescimento nos ataques de leões na região que leva os pesquisadores a mergulharem no tema e tal tema se tornar alvo de controvérsias onde os leões de Tsavo que eram uma sub-espécie sem juba - entre os problemas sugeridos - também teriam problemas nos dentes que por essa debilidade seria responsável por os levarem a procurar presas mais fáceis que seriam humanos dormindo. A própria revista 'Nature' relaciona diferenças nos dois casos onde os atuais poderia demonstrar como efeitos provocados pela destruição do habitat, mediante ao aumento populacional desordenado das cidades e a caça indiscriminada do próprio e suas presas que seria não um fenômeno isolado mas com equivalentes de ursos e outras espécies em todo mundo, o que facilitaria encontros do qual são normalmente fatais graças a força dos leões onde somente uma patada seria capaz de quebrar ossos e destruir órgãos internos reduzindo a chance de sobrevivência a menos 40%. Os números se tornam alarmante onde somente na Tanzânia cerca de 900 ataques com 560 vítimas fatais foram registrados nos últimos 15 anos e na Étiopia tais ataques são relatados em sua maioria lavradores e crianças atacados durante o dia.
Plataforma na Árvore
Árvore da qual segundo leão foi baleado.
"A Sombra e a Escuridão"
Coronel Patterson e o Primeiro Leão abatido.
O primeiro leão foi abatido em 09 de dezembro de 1898 medindo 
aproximadamente 3 metros, do focinho à ponta de sua cauda.
"A Sombra e a Escuridão"
Museu taxidermista.
Julius Friesser preparando a montagem.

A Caverna Tsavo Lions (1899)
A caverna conhecida como "Antro de comer Homens" foi fotografada 
pelo tenente-coronel John Henry Patterson quase um século atrás. 
Acredita-se que pode conter os restos mortais de algumas das 
vítimas mortas pelos leões.

"A Sombra e a Escuridão"
Reparação e limpeza dos Leões de Tsavo para apresentação

"A Sombra e a Escuridão"
Os Leões de Tsavo em exposição no Museu Field, Chicago, Illinois.

Tsavo Railroad Bridge
Tsavo Railroad Bridge, 1997
A Ponte sobre o Rio Tsavo, originalmente projetado por JH Patterson, 1898.

Comente com o Facebook: